Fecomércio-MS lança programa para elaborar propostas para o segmento do turismo do Estado

A Fecomércio-MS e o Senac-MS lançaram, no dia 3 de agosto, o projeto Vai Turismo – Rumo ao Futuro, uma iniciativa da CNC, de um movimento nacional formado por pessoas e organizações, que visa contribuir com propostas para impulsionar o setor de turismo regional e nacional, principalmente após o impacto da pandemia.

Segundo o diretor do Senac-MS, Vitor Mello, o programa é uma oportunidade de conectar pessoas e instituições, integrar propostas e determinar a direção para o desenvolvimento sustentável de destinos turísticos de Mato Grosso do Sul. “Nosso estado tem um potencial enorme para o turismo, é líder mundial em recursos naturais, como a cidade de Bonito, por exemplo, que é eleita frequentemente como melhor destino de ecoturismo do mundo”, afirma.

Por meio de um grupo de trabalho, representando os diversos segmentos do turismo, o programa vai construir, de modo colaborativo, documentos para orientar candidatos aos Poderes Executivo e Legislativo sobre as prioridades para o desenvolvimento do turismo sustentável e ações para fazer frente aos desafios, considerando um norteamento estratégico por quatro anos. Os debates serão conduzidos pela CNC.

Para o presidente da Fecomércio-MS, Edison Araújo, o turismo é fundamental para as economias estadual e nacional e sempre esbarra em questões que não conseguimos contornar, que impedem que o nosso turismo atinja o patamar que ele pode atingir. “Este programa oportuniza juntar o trade turístico para discutir ações efetivas para que a gente ganhe força e estruture uma proposta para que o turismo, definitivamente, seja ouvido pelo poder público, para implementar ações que possam reestruturar este setor, para que ele tenha seu lugar merecido na economia, no mix de atividades econômicas do nosso país e do nosso estado. Estamos iniciando esse trabalho, que terá a duração de um ano e que desenvolverá um material muito rico, para que a gente possa conversar com o poder público e com os candidatos, em nível estadual e federal, e dizer o que realmente o turismo precisa para que seja, efetivamente, uma potência na economia do Brasil”, explica Edison.

A apresentação do programa, na sede da Fecomércio-MS, contou com a participação de 41 representantes de vários segmentos do turismo de MS, a maioria de forma on-line.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/fecomercio-ms-lanca-programa-para-elaborar-propostas-para-o-segmento-do-turismo-do-estado/369215

Fecomércio-SC realiza primeiro encontro do projeto Vai Turismo no Estado

A Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio-SC realiza, no dia 24 de agosto,  o primeiro encontro do projeto Vai Turismo – Rumo ao Futuro,  que conduzirá uma consulta pública nacional para construir uma agenda integrada do setor mirando as eleições de 2022.

O evento de sensibilização dá a largada no projeto com o nivelamento de conceitos sobre políticas públicas no turismo e contará com a participação de entidades do setor, 13 Instâncias de Governança Regional (IGRs) e parceiros convidados.

A iniciativa capitaneada pelas Federações do Comércio e pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), por meio do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), visa conectar os atores dos diversos segmentos da cadeia produtiva em todo o País para desenvolver propostas integradas de políticas públicas que estimulem o desenvolvimento do turismo brasileiro. Serão elaborados 27 documentos, considerando as particularidades de cada estado, com demandas prioritárias para embasar as estratégias de governo dos candidatos às eleições em 2022.

O próximo encontro está previsto para o mês de setembro e debaterá os atrativos estaduais e o papel do empresariado na governança. A programação também prevê a formação dos Grupos de Trabalho Estaduais (GTEs), que participarão das oficinas técnicas em que serão trabalhadas as propostas.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/fecomercio-sc-realiza-primeiro-encontro-do-projeto-vai-turismo-no-estado/371724

Cetur-GO apresenta projeto Vai Turismo

O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio Goiás (Cetur), representada pelo seu presidente Ricardo Rodrigues e pela vice-presidente Fernanda Cury, reuniu, no dia 19 de agosto, autoridades e empresários do segmento para a apresentação oficial do projeto Vai Turismo – Rumo ao Futuro. Quem abriu o evento foi o presidente da Fecomércio Goiás, Marcelo Baiocchi, que reforçou a importância do trabalho desenvolvido pelo Cetur não só para o trade turístico, mas para todo o Estado. “É importante valorizar essa união, principalmente, neste momento de retomada, já que o turismo foi uma das áreas mais afetadas durante a pandemia. Com esforço e trabalho, o turismo pode ajudar na criação de empregos e promover melhorias sociais e econômicas em Goiás”, pontuou.

O projeto está sendo realizado em todo o Brasil, por meio da CNC e, segundo o presidente do Cetur, Ricardo Rodrigues, é uma oportunidade de integrar propostas e conectar instituições e, assim, recomendar políticas públicas e ações que estimulem o desenvolvimento sustentável do turismo. Durante o evento, também foi apresentado oficialmente o novo presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Valdery Júnior. Foi uma oportunidade de mostrar quais ações estão sendo desenvolvidas e quais ações futuras serão promovidas pela entidade para alavancar o turismo local.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/cetur-go-apresenta-projeto-vai-turismo/371283

GT Bahia do projeto Vai Turismo, da CNC, dá início aos trabalhos

Nesta quinta-feira, 19/08, ocorreu a primeira reunião virtual do Grupo de Trabalho, organizado pela Fecomércio-BA, para integrar o projeto Vai Turismo – Rumo ao Futuro, movimento nacional criado pela CNC. O objetivo é conectar representantes de instituições diretamente ligadas ao turismo, para construir políticas públicas que estimulem o desenvolvimento sustentável dos destinos turísticos brasileiros, especialmente no pós-pandemia.

A coordenadora da CET – Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio-BA, Avani Duran, abriu os trabalhos do primeiro encontro, que teve a finalidade de sensibilizar e engajar o grupo em torno das questões a serem trabalhadas. O objetivo final será a construção de um único documento, com a contribuições de todos os estados, contendo sugestões de políticas públicas e ações prioritárias para o turismo brasileiro, para o período 2022/2026. O documento será entregue pela CNC aos candidatos à presidência do País.

Para fomentar as sugestões do grupo, foi passado um vídeo da professora Clarissa Gagliardi (USP) sobre o tema central (Políticas Públicas) que trouxe dados e principais indicativos do turismo brasileiro no contexto mundial. O próximo evento será no dia 21/09, com o tema: O Papel do Empresariado na Governança de Destinos Turísticos. No dia 20/10, às 10h, será a vez da oficina: Pensar e escrever juntos as recomendações de políticas públicas para o Estado da Bahia.

Entre os presentes estiveram representantes da Abav-BA, Aviação Águia Branca Viação, Abrasel, Abrajet, Aeroporto Salvador, Abre, Abrape, Abrasce, Conselho Baiano de Turismo, , Secretaria de Turismo de Camaçari, Central do Carnaval, Salvador Bahia Destination, Sesc, Senac, Sebrae, Transalvador e Uneb.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/gt-bahia-do-projeto-vai-turismo-da-cnc-da-inicio-aos-trabalhos/371429

Vai Turismo inicia etapa nos estados

Foi dada a largada para o trabalho do Vai Turismo – Rumo ao Futuro nos estados. O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo ((Cetur/CNC) realizou reunião, em 6 de julho, com facilitadores das Fecomércios para alinhamento dos encontros e oficinas que vão ser realizados nos estados. O projeto está no momento de mobilização e engajamento e a reunião tratou da formação dos Grupos de Trabalho Estaduais (GTEs).

Entre as responsabilidades das Federações, estão a articulação para engajamento das partes interessadas; o trabalho de divulgação do Vai Turismo, com suas atividades e resultados; a participação nos encontros e oficinas técnicas; e o apoio na identificação de outros projetos, documentos e informações nos estados que também busquem estimular o desenvolvimento do turismo.

Segundo esclareceu a assessora do Cetur/CNC, Márcia Alves, serão realizados dois encontros de sensibilização, para nivelar informações sobre políticas públicas, atrativos estaduais e o papel do empresariado na governança, para então partirem para as duas oficinas técnicas em que já serão trabalhadas as propostas de políticas públicas.

Representatividade

Cada GTE terá entre 25 e 40 participantes, indicados pelas Fecomércios. Essa lista inicial passa por uma análise de representatividade feita pela consultoria do projeto Vai Turismo e pela Confederação. A proposta é que os GTEs tenham representantes de diferentes segmentos da cadeia produtiva do turismo – agências de viagens e operadoras, transportes turísticos, meios de hospedagem, estabelecimentos de alimentação, parques temáticos, entre outros –, além de instituições de ensino e pesquisa, organizações civis e instâncias públicas.

Cássio Garkalns, consultor da assessoria técnica e metodológica do projeto, falou da necessidade de atrair as pessoas certas para que o conteúdo reflita as reais demandas do setor. “Se estamos querendo gerar documentos específicos para cada um dos estados que sejam robustos e consigam influenciar a agenda política dos candidatos das próximas eleições, precisamos envolver nos grupos de trabalho atores que, de fato, possam influenciar essa mudança”, destacou o especialista.

O Senac Nacional e o Cetur/CNC vão disponibilizar profissionais que farão o trabalho de mediação e facilitação junto aos GTEs. “Vamos conduzir um trabalho participativo para que ao fim desses encontros e oficinas a gente tenha um documento estruturado, viável e exequível, que represente as necessidades dos principais participantes desses grupos de trabalho, que entendemos que são os representantes do trade e do turismo naquele estado”, afirmou Garkalns.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/vai-turismo-inicia-etapa-nos-estados/367562

Cetur Tocantins tem novos membros e discute projeto Vai Turismo

O Conselho Empresarial de Turismo da Fecomércio Tocantins (Cetur) representado pelo seu presidente, Marcelo Perim, recebeu a presidente da Associação de Jovens Empresários e Empreendedores do Tocantins (AJEE), Janília Teles, em reunião realizada na sede da federação, em 5 de julho. No encontro foram discutidos projetos voltados ao setor de Turismo, em especial o projeto da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) chamado Vai Turismo, e feita uma breve apresentação sobre a atuação tanto do Cetur.

Além disso, foram atualizados os nomes dos membros que representam a AJEE no Cetur-TO, sendo a indicação de Tainá Gianetti Julio como membro efetivo e Monnyele Rodrigues Silva, como sua suplente.

De acordo com o presidente do Cetur, Marcelo Perim, a reunião foi produtiva e trará bons resultados. “A AJEE é uma entidade que contribuirá com o Cetur-TO de forma prática, com sua expertise, no fomento de ideias inovadoras. A Presidente Janília Teles demonstrou muito interesse em participar efetivamente no desenvolvimento de nosso conselho”, disse.

Novo Membro Consultivo

Além da renovação dos representantes da AJEE, o Cetur conta com um novo membro consultivo, a Agência de Fomento do Estado do Tocantins. O convite foi realizado à presidente Denise Rocha, que aceitou o assento no conselho. A presidente assumirá a vaga como membro efetivo e indicou Jorge Luiz Matheus, como seu suplente.

Para Marcelo Perim, a inserção da Agência de Fomento no conselho é reflexo do trabalho executado pela agência e também a possibilidade de novas parcerias que beneficiem a classe empresarial. “A aceitação do convite pela presidente Denise Rocha reforça a atuação da Agência de Fomento como uma das entidades financeiras que mais tem apoiado o turismo frente à pandemia, através da disponibilização do Fungetur aos empresários do setor”, disse Perim.

Fonte: https://www.portaldocomercio.org.br/noticias/cetur-tocantins-tem-novos-membros-e-discute-projeto-vai-turismo/363783

CNC inicia atividades do projeto Vai Turismo

Evento apontou boas práticas para o setor turístico brasileiro, que precisa se reerguer após baque histórico da pandemia.

Nesta terça-feira (22), a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) deu um importante passo para resgatar o setor turístico no pós-pandemia. Com a realização do webinário Vai Turismo – Rumo ao Futuro, a entidade lançou o movimento que pretende integrar propostas e conectar instituições, a fim de recomendar políticas públicas a tempo das eleições de 2022.

O evento on-line, transmitido ao vivo pelo YouTube, teve mais de 1.400 inscritos e reuniu mais de 700 pessoas simultaneamente e contou com a participação de especialistas nacionais e internacionais. Na abertura da agenda, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, apresentou o projeto e destacou a importância do setor para a economia brasileira.

“O turismo foi um dos setores que mais sofreram com a pandemia e ainda amarga prejuízos históricos durante a prolongada crise econômica e sanitária. Sabemos que, com planejamento e boa execução, o turismo pode ajudar a criar empregos no País, promover melhorias sociais e econômicas e proteger o meio ambiente”, afirmou Tadros.

O diretor da CNC e responsável pelo  Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação, Alexandre Sampaio, destacou a importância de uma iniciativa que vai mapear as peculiaridades regionais e nacional para apontar um plano de desenvolvimento do setor. “Vamos criar um documento que seja realmente propositivo para definir os rumos do turismo no Brasil.”

Participaram da agenda Michel Julian, da Organização Mundial do Turismo (OMT); Lenier Toro, da Subsecretaria de Turismo de Medellín, que apresentou o case de turismo inteligente da cidade colombiana; Vitor Leal Pinheiro, coordenador de Campanhas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA); e Sérgio Guerreiro, diretor coordenador da Direção de Gestão do Conhecimento e Inovação do Turismo de Portugal. O webinário pode ser assistido pelo YouTube do Cetur/CNC.

Já aderiram ao projeto as 27 Federações do Comércio (Fecomércios) de todos os Estados e mais do Distrito Federal e 27 associações representativas nacionais da cadeia produtiva do Turismo. Antes do término do evento, a CNC já havia recebido a primeira sugestão, feita pela Federação dos Circuitos Turísticos de Minas Gerais, por meio do site do projeto, o www.vaiturismo.com.br.

Conheça o Vai Turismo

Apoiado por todo o Sistema Comércio, entidades parceiras e instituições representativas do segmento, o projeto Vai Turismo visa contribuir para o debate público e embasar propostas e estratégias de governo dos candidatos que se apresentarem às eleições estaduais e nacional de 2022. A ação vai funcionar como uma grande consulta pública, envolvendo diferentes atores do trade, capitaneada pelas Federações do Comércio (Fecomércios), em todos os Estados e no Distrito Federal, e pela CNC, por meio do seu Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur/CNC). Ao final, formulará propostas de políticas públicas que serão entregues aos candidatos ao Poder Executivo nas próximas eleições.

Setor registra perdas recordes

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o turismo brasileiro já perdeu R$ 355,2 bilhões em receita. Como resultado, o segmento fechou mais de 35 mil estabelecimentos com vínculos empregatícios só em 2020. O saldo negativo corresponde à maior perda anual desde 2016, quando o Brasil ainda sofria os efeitos da recessão, e representa um recuo de 13,9% em relação ao total, em 2019. O turismo brasileiro ainda opera bem abaixo da sua capacidade, com apenas 48% da possibilidade mensal de geração de receitas.

Acesse as apresentações dos palestrantes:

Cetur se reúne com presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados

As ações para impulsionar o turismo nos estados, tomadas a partir de uma avaliação junto com empresas e instituições do setor, na construção de uma agenda única nacional, bem como outras estratégias para mitigar os impactos advindos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, foram apresentadas pelo Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) para o novo presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, deputado João Carlos Bacelar Batista (Pode-BA). A reunião por videoconferência ocorreu nesta terça-feira, 16 de março.

“Queremos construir, de modo participativo com os Federações do Comércio nos estados, 27 documentos orientativos ao poder executivo local, a respeito das prioridades para o desenvolvimento do turismo sustentável e ações de curto prazo para fazer frente aos desafios. E com as entidades nacionais da cadeia produtiva do turismo, que integram o Cetur/CNC, vamos unir as demandas e estabelecer um plano estratégico para médio e longo prazos. E nada mais consonante do que apresentar à Casa de Leis, em especial a comissão que legisla em favor do turismo brasileiro”, enfatizou o diretor da CNC responsável pelo Conselho, Alexandre Sampaio.

Analisar as tendências, identificar oportunidades e conhecer os pontos críticos para retomada do turismo nos estados está entre as principais linhas de atuação integrada. O plano estratégico foi bem elogiado pelo deputado Bacelar e vai ao encontro de suas prioridades na comissão.

“Nossa intenção é construir as bases para a retomada do turismo no País, transformando essa comissão num centro de pensamentos do turismo brasileiro, como um pilar de sustentação do ponto de vista teórico e legislativo, mais moderno, mais realista, junto com o meio acadêmico, as organizações, a sociedade civil, estados, municípios e entidades. E esse planejamento do Cetur tem grande relação com o papel da comissão. Importante que continuemos parceiros para capitalizar todas as grandes ideias para o turismo brasileiro”, enfatizou o deputado.

Segundo Bacelar, a comissão ouvirá os integrantes do setor para estabelecer estratégias e convidou o Cetur para fazer a apresentação para todo o colegiado, em data posterior, a ser agendada. Ele disse que, como alternativa a grandes eventos – como o carnaval, suspenso neste ano –, surgem o turismo religioso, ecológico e a regulamentação dos jogos no País, bandeira defendida pelo parlamentar.

“Temos que trabalhar pelo Marco Regulatório dos Jogos (PL nº 442/91) como uma saída para fomentar o turismo, uma vez que o setor hoteleiro pode integrar os cassinos em seus resorts”, destacou. “E esse caminho da volta do jogo é necessário para alavancar o turismo brasileiro, contribuindo para a geração de emprego e renda”, completou Sampaio.

Agenda de audiências

O diretor da CNC solicitou apoio da comissão na Caixa Econômica Federal, que iniciou as operações com recursos do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), com créditos de 5% ao ano e 12 meses de carência. “É preciso um convencimento da Caixa, que tem exigido uma aplicação financeira no montante da captação. Nosso apelo, até para dar mais mobilidade aos empresários, é aceitar aval pessoal ou recebíveis”, sinalizou.

Para atender a essa demanda, o presidente da comissão vai propor um requerimento de audiência com integrantes da instituição financeira e dos Ministérios da Economia e do Turismo para debater sobre o Fungetur e o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), que recentemente já teve o aval do governo para prorrogação do início dos pagamentos.

O deputado Bacelar também sugeriu uma agenda com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), junto a um grupo reduzido do trade turístico, para tratar as demandas importantes ao setor. Nesse sentido, a chefe da Divisão de Relações Institucionais (DRI) da CNC, Nara de Deus, ressaltou que foi elaborado um documento e entregue aos presidentes da Câmara e do Senado, com os projetos prioritários da CNC para o comércio de bens, serviços e turismo.

Participaram da reunião o especialista técnico da DRI Felipe Miranda; o assessor legislativo da Fecomércio-BA Edmundo Bustani; as especialistas técnicas do Cetur Ana Paula Siqueira Bahmad e Vanessa Paganelli; além do assessor de relações institucionais do Departamento Nacional do Senac, Antonio Henrique Borges.

Colegiado

A Comissão de Turismo na Câmara dos Deputados reúne 20 titulares e igual número de suplentes para analisar propostas relacionadas à política e ao sistema nacional de turismo; a atividades e serviços turísticos; e à colaboração com entes públicos e nãogovernamentais nacionais e internacionais que atuam em iniciativas para o setor.

Fonte: http://stage.cnc.org.br/editorias/turismo/noticias/cetur-se-reune-com-presidente-da-comissao-de-turismo-da-camara-dos

CNC lança projeto de resgate do setor turístico

O projeto Vai Turismo será divulgado no próximo dia 22 e formulará, ao final, propostas de políticas públicas que serão entregues aos candidatos ao Poder Executivo nas próximas eleições

Responsável por uma fatia de 8% da economia brasileira, o turismo foi um dos setores que mais sofreu no período agudo da pandemia do novo coronavírus e ainda amarga prejuízos históricos durante a prolongada crise econômica e sanitária. Para buscar soluções para esse cenário e promover mudanças que impulsionem o segmento, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) inicia uma mobilização para sensibilizar lideranças, com o lançamento do projeto Vai Turismo.

A iniciativa será divulgada oficialmente no próximo dia 22, em evento on-line, e vai contar com o apoio de todo o Sistema Comércio, além da participação de entidades parceiras, representativas do segmento. A ação visa contribuir para o debate público e embasar propostas e estratégias de governo dos candidatos que se apresentarem às eleições em 2022, tanto nas estaduais quanto na nacional.

“Com planejamento e boa execução, o turismo pode ajudar a criar ainda mais empregos no País, promover melhorias sociais e econômicas e proteger o meio ambiente. O empresário do turismo também quer um desenvolvimento sustentável. Nossa missão aqui é aproximar o debate, apresentar propostas e contribuir para soluções práticas, sempre olhando para o futuro”, explica o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

O projeto Vai Turismo vai conduzir uma grande consulta pública, envolvendo diferentes atores do trade turístico, capitaneada pelas Federações do Comércio (Fecomércios), em todos os Estados e no Distrito Federal, e pela CNC, por meio do seu Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur/CNC). Ao final, formulará propostas de políticas públicas que serão entregues aos candidatos ao Poder Executivo nas próximas eleições. Alexandre Sampaio, diretor que coordena o Cetur/CNC, lembra que a entidade já vem contribuindo para o debate.

“Fizemos a entrega de documento com propostas para os principais candidatos a Presidente da República em 2018, por exemplo, mas agora queremos ampliar e aprimorar esse processo. Em especial diante da gravidade da situação do setor, que possivelmente vive a pior fase já vista”, complementa Sampaio. O documento nacional que será entregue aos presidenciáveis em 2022 terá o envolvimento das 27 instituições da cadeia produtiva do turismo que integram o Cetur, entre outras que aderirem ao movimento Vai Turismo-Rumo ao Futuro.

 

Prejuízos recordes  

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o turismo brasileiro já perdeu R$ 355,2 bilhões em receita. Como resultado, o segmento fechou mais de 35 mil estabelecimentos com vínculos empregatícios só em 2020. O saldo negativo corresponde à maior perda anual desde 2016, quando o Brasil ainda sofria os efeitos da recessão, e representa um recuo de 13,9% em relação ao total em 2019. O turismo brasileiro ainda opera bem abaixo da sua capacidade, com apenas 48% da possibilidade mensal de geração de receitas.

 

Lançamento Vai Turismo

O evento de lançamento contará com a presença de especialistas nacionais e internacionais do setor, que vão compartilhar experiências e visão sobre futuro, sustentabilidade e inovação, sendo eles: Sandra Carvão, chefe de Inteligência de Mercado e Competitividade da Organização Mundial do Turismo (OMT); Ledys Lopez, assessora da Subsecretaria de Turismo de Medellín, que apresenta o case de um dos primeiros Destinos Turísticos Inteligentes na América Latina; Vitor Leal Pinheiro do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA); e Sérgio Guerreiro, que é diretor coordenador de Gestão do Conhecimento e Inovação do Turismo de Portugal.

O evento de lançamento é o primeiro passo do Vai Turismo, que pretende integrar propostas e conectar instituições para recomendar políticas públicas pelo desenvolvimento sustentável do turismo brasileiro no pós-pandemia.

 

Webinário Vai Turismo – Rumo ao Futuro

Data: 22/06/2021

Horário: 14h às 17h

Inscrições e programação: https://www.sympla.com.br/webinario-vai-turismo—rumo-ao-futuro__1227016

Diretor da CNC defende tributação diferenciada para o turismo em audiência da Câmara Federal

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) participou, nesta quinta-feira (20), de Audiência Pública da Câmara dos Deputados para debater melhores condições fiscais para os empresários do setor turístico. A matéria tramita na forma da Medida Provisória n.º 1040/2021, e no que se refere ao tema “Facilidades para o Comércio Exterior”, a Comissão de Turismo da Câmara busca incluir, por meio de emenda, as empresas do turismo receptivo na categoria de agente exportador, isento de alíquota sobre o Imposto de Renda.

Atualmente, a norma vale para a exportação de serviços, mas não se aplica ao turismo, que realiza constantes transações com o mercado internacional, ao receber pessoas de outros países e gerar movimentação econômica positiva para o País. “Nós estamos falando do conceito de modernização do turismo, de inserir esta atividade na dimensão que ela merece”, defendeu o deputado Otávio Leite, que presidiu a Audiência.

O diretor da CNC e presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, alertou para a necessidade de uma tramitação urgente da matéria no Congresso Nacional e uma modernização geral da legislação, pois considera que os empresários brasileiros e o País perdem riquezas com a alta carga tributária enquanto agentes intermediários internacionais são isentos do pagamento de impostos.

“Não são apenas números, mas o espraiamento de que todos os agentes do turismo gozem dos benefícios. Se tivéssemos avançado na reforma tributária, teríamos a possibilidade de um imposto único, mas podemos avançar no turismo ao fazer com que a carga seja menor para todos”, afirmou.

Sampaio apresentou um estudo positivo sobre a estruturação do turismo na República Dominicana e que acredita que seria aplicável ao Brasil. A lei dominicana confere tratamento tributário especial às empresas de turismo, estabelece o fomento e o desenvolvimento em locais onde a atividade econômica é escassa e possui o Fundo Oficial de Promoção Turística nas localidades mais procuradas como destino de lazer.

Dados da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) mostram que, quando o brasileiro viaja para o exterior, a cada um dólar gasto no país de destino, 20 dólares retornam ao Brasil, o que daria à empresa a possibilidade de investir 18% a mais no setor.

Cenário

Duramente afetado pela pandemia da covid-19, o turismo vive um momento de perdas, mas os empresários acreditam que este é o setor que pode impulsionar a retomada da economia nacional no pós-pandemia por produzir riqueza imediata e gerar emprego e renda.

O Turismo brasileiro é responsável por cerca de 8% do PIB e gera 2,9 milhões de empregos diretos e formais, impactando mais de 50 segmentos econômicos. O setor é intensivo na contratação e geração de vagas de trabalho. “Mesmo com o avanço da tecnologia, é um setor que não deixa de gerar empregos”, avalia o vice-presidente do Brasil Convention e Visitors Bureau, Roberto Fagundes.

Um levantamento do Brasil CVB, que atua no ramo de eventos internacionais, mostra que, em 2019, os estrangeiros injetaram 5,8 milhões de dólares na economia nacional, o que ele considera um valor pequeno em relação a outros países com diversidade de atrativos turísticos menores. “Não faz sentido o Brasil, com tantas belezas, não ter o turismo como principal agente econômico”, ressaltou.